1, 2, 3. Tudo Começa na Infância …

Bebê deitado de lado, com olhos abertos e com um título na base da imagem, centralizado e com letras maiúsculas. O título diz: Tudo começa na infância ...

Suas Crenças Limitantes, Suas Crises e, No Aconselhamento Biográfico Também Começamos Por Ela.

 

Durante a infância, as experiências vivenciadas gravam na alma da criança as impressões causadas pelas interações com o ambiente do entorno – a atmosfera vivenciada no ambiente familiar, as impressões geradas a partir das relações humanas presenciadas, a forma como foi acolhida pelos adultos, as vivências da natureza, tudo ao redor da criança causa impressões.

Essas experiências modelam nossas percepções, emoções, pensamentos e comportamentos.

Processamos e interpretamos, internamente, essas experiências a partir de representações mentais, criando significados e construindo narrativas sobre nós mesmas (crenças pessoais), sobre o mundo e as outras pessoas, gerando padrões de comportamento e dogmas pessoais e sociais que impedem o fluir da vida com leveza, confiança e desenvoltura.

Durante os primeiros anos de vida, principalmente nos 3 primeiros anos, a criança está totalmente aberta ao que tem em seu entorno. Ela desenvolve seus hábitos por imitação, sem discernimento sobre certo ou errado, sem capacidade de escolha consciente, simplesmente imita os adultos de seu convívio. Desta forma está totalmente a mercê e sensível à influência do ambiente, das circunstâncias que a envolve.

As experiências vividas na infância têm o potencial de deixar marcas duradouras e profundas no sistema de crenças e no modo de ver e interagir com o mundo.

E, são essas marcas duradouras que vão se confrontar com os períodos de transição biográfica gerando as crises identificadas e estudadas pela abordagem Antroposófica.

As representações mentais arraigadas se referem a essas crenças, padrões de pensamento e respostas emocionais que se desenvolvem a partir das experiências vivenciadas nos 3 primeiros setênios (até os 21 anos), sendo mais expressiva principalmente nos primeiros anos da infância.

Entenda melhor com um exemplo

Se uma criança cresce em um ambiente onde constantemente se sente insegura, pode desenvolver uma representação mental de si mesma como incapaz ou indigna de amor e sucesso.

E onde isso leva ?

Essa representação mental pode influenciar seu comportamento e suas crenças na vida adulta, levando a uma tendência de se subestimar ou evitar situações desafiadoras.

Esses padrões de reação e crenças podem se manifestar de diversas maneiras, como medos sem motivo, baixa autoestima, dificuldade em lidar com relacionamentos interpessoais, resistência à mudança, entre outros.

No entanto, é importante ressaltar que cada pessoa é única, suas vivências são próprias de sua necessidade de desenvolvimento, suas representações mentais e padrões de reação são individuais, baseados em suas experiências pessoais.

Vale lembrar, também, que todo desafio carrega em si uma oportunidade potencial de desenvolvimento, mas, na maioria das vezes só reconhecemos essa oportunidade depois de termos passado por ela.

Agora perceba a importância do Aconselhamento Biográfico

Ao explorar, a infância e as representações mentais arraigadas, na jornada de desenvolvimento pessoal, você se coloca ativa (o) no caminho de se relacionar com a oportunidade que a sua vida apresenta.

Ao refletir sobre suas experiências passadas, você pode identificar os padrões limitantes e transformá-los em impulsos positivos. A proposta envolve a reavaliação das crenças limitantes, o processamento de desafios e dores não superados.

Envolve a consciência das feridas da infância, das dores esquecidas que nunca pararam   de doer, e o desenvolvimento de estratégias. Essas estratégias ajudarão a cultivar uma mentalidade mais saudável e fortalecedora, com o estabelecimento de clareza sobre o que estava gerando os desafios em sua vida.

As vantagens ...

Ao abordar a importância da infância e das representações mentais na jornada, você é convidada (do) a se conhecer mais profundamente, a reconhecer esses padrões limitantes e a explorar novas perspectivas e possibilidades de crescimento. 

Ao longo do Aconselhamento Biográfico você viverá uma transformação de consciência significativa sobre si mesma (o), que vai permitir que você se liberte dos padrões antigos e abra caminho para uma vida mais autêntica, com sentido e gratificante.

Você reconhece padrões de crenças limitantes em você? Consegue relacioná-los a vivências experimentadas nos seus primeiros setênios de vida? Comenta aqui embaixo. Vou gostar de conversar com você.

Deixo aqui em baixo um verso de Rudolf Steiner que fala sobre o que realmente é importante ser considerado, no andar da vida.

Mesmo que na infância as representações mentais sejam geradas, internamente, por impressões do que foi vivenciado, e que não são a verdade de nossa essência, o caminho de desenvolvimento vale a pena, pois ainda que as representações mentais não representem o real da vida, é importante que haja um começo disponível para ser melhorado.

E, agora, na fase adulta, é possível revisitar a história, desconstruir as crenças limitantes e refazer as imagens com base na verdade interior pessoal. 

" O importante não é a perfeição com a qual conseguimos realizar o que deve provir da vontade, e, sim, que o que tiver de surgir nesta vida, por mais imperfeito que venha a parecer, seja feito uma vez para que haja um começo." 

Fica a dica: Pense e responda. O que em você mais limita a realização daquilo que você tem vontade de fazer?  (Em você quer dizer que esse algo está você, não fora de você)

Compartilhe:

Email
LinkedIn
WhatsApp
Facebook
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *